domingo, novembro 15, 2020

Homenagem 2020 - Donald Francis McKenzie

 

O prêmio Leandro Müller de Literatura a cada ano reflete mais a influência de obras em minha vida, tendo laureado frequentemente nos últimos anos autores que não fazem propriamente ficção. Mas bons livros de não-ficção podem ser literários e, até mesmo, poéticos. Certos conceitos podem e devem ser expandidos. Mais do que nunca precisamos de novas estéticas, novos modos de ver o mundo.

Há 20 anos trabalho com mercado editorial, pesquiso e trabalho com livros, talvez minha maior paixão. O prêmio deste ano vai para um autor que alargou significamente o conceito sobre “texto”, esse tema tão central na minha vida, definindo-o assim: “Defino ‘texto’ de modo que inclua dados verbais, visuais, orais e numéricos, em forma de mapas, impressos e música, de arquivos de registros de som, de filmes, vídeos de qualquer informação conservada em computador, tudo, na verdade, da epigrafia às últimas formas de discografia.” (MCKENZIE, Donald Francis, Bibliografia e Sociologia dos Textos. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2018. p.26)

Minha matéria prima favorita é o "texto". Qualquer seja a forma em que ele se me apresente. Achamos que amamos filmes, música, livros... quando, na verdade, nós amamos textos... e desde tempos ancestrais, em que nos eram transmitidos oralmente ao redor de fogueiras.

Por ampliar meus horizontes na busca da essência do que é um texto, Donald Francis McKenzie recebe minha homenagem neste ano de 2020.


Nenhum comentário: